Investigado por:2018-09-06

“Petistas nus” não invadiram manifestação pró-Bolsonaro em Nova York

Um vídeo que mostra o que parece ser um protesto pró-Lula na Times Square, em Nova York, e do outro lado da aglomeração, numa área isolada por barreiras, um grupo de pessoas nuas, vem ganhando força no Twitter. Um dos tweets sugere que o ato foi feito para tumultuar uma manifestação pró-Bolsonaro que também era realizada próximo ao local. Os “pelados”, entretanto, não fazem parte de nenhuma manifestação partidária, mas de um evento de naturismo que acontecia no local.

Manifestantes fizeram um ato de apoio ao ex-presidente Lula no último dia 2 de setembro, em Nova York. A concentração ocorreu em um ponto da Times Square, coincidindo com as celebrações do “Brazilian Day 2018” e com outras manifestações em apoio ao deputado Jair Bolsonaro.

Porém, estava agendado para o mesmo dia, o evento Ultimate Freedom Concert, promovido pelo músico e militante naturista Ton Dou. A apresentação do artista foi anunciada com a proposta de promover a nudez como um direito humano natural e isento de sanções penais. Não há qualquer menção ao ex-presidente Lula na página de divulgação do evento.

Imagens da Time Square disponíveis no site EarthCam mostram que o ato naturista ocorreu em uma área cercada por grades, afastada de onde eram exibidas as faixas em apoio ao ex-presidente. Transmissões ao vivo e outros vídeos divulgados nas redes sociais verificados pelo Comprova confirmam que as manifestações em apoio a Lula e a Bolsonaro ocorreram ao mesmo tempo, nos arredores da popular escadaria vermelha da Times Square. O Comprova não encontrou evidências de que houve algum tipo de confronto no local.

O vídeo reproduzido em contas no Twitter, no entanto, afirma que pessoas sem roupa participaram do ato pró-Lula. “Que absurdo, o pessoal do Lula trouxe a galera pelada aqui na Times Square, em Nova York”, diz o autor do vídeo. Uma das publicações, com mais de 500 retweets e 1,4 mil curtidas, anuncia que “petralhas pelados invadem manifestação pró-Bolsonaro em NY”. Até o dia 6 de setembro, o vídeo já ultrapassava as 38 mil visualizações.