O objetivo do Comprova é identificar e enfraquecer as sofisticadas técnicas de manipulação e disseminação de conteúdo enganoso que vemos surgir em sites, aplicativos de mensagens e redes sociais.

Nossos parceiros estão unidos no compromisso de investigar – de maneira precisa e responsável – declarações, especulações e rumores que estejam ganhando fôlego e projeção na internet. Ao trabalhar coletivamente para selecionar e apurar textos, vídeos, imagens e gráficos, os jornalistas do Comprova vão contextualizar e esclarecer informações que podem ser consideradas enganosas ou deturpadas e tomar providências para minimizar o alcance e o impacto de mentiras comprovadas e deliberadas que tenham relação com políticas públicas no âmbito federal.

Nossos princípios orientadores

Os parceiros Comprova desenvolveram e concordaram, juntos, em seguir cinco princípios básicos:

Rigor

A linguagem utilizada nas chamadas e nos textos vai contextualizar e explicar as informações baseada apenas em evidências comprováveis. Isso também vale para todas as imagens, ilustrações ou indicadores visuais que demonstram se uma informação é confiável ou falsa.

Nenhum relato será publicado sem que pelo menos três redações parceiras concordem com os passos de verificação seguidos, as conclusões obtidas e a veracidade geral do texto.

Integridade e imparcialidade

Decidiremos que rumores, declarações ou conteúdo serão investigados com base na possível dissipação rápida das informações e para além de comunidades de nicho. Isso será avaliado por meio de algoritmos de previsão.

A cada semana, a produção do Comprova será revisada por um Conselho Editorial que identificará qualquer padrão enviesado não intencional. O Conselho é formado por representantes sênior dos veículos de comunicação parceiros.

Todas as redações são responsáveis umas pelas outras e entendem que sua produção individual receberá, do Comprova, a mesma análise que qualquer outra fonte.

Independência

Como uma coalizão, o Comprova trabalha no melhor interesse público e é completamente independente de qualquer outra organização. Decisões operacionais e editoriais são tomadas coletivamente sem sofrer influência do apoio financeiro ou tecnológico recebido de outras organizações comerciais ou auxiliares.

O projeto não tem filiação política e os jornalistas participantes concordam em se declarar impedidos de investigar assuntos em que possam ter algum conflito de interesses.

As organizações que ajudam na coordenação do Comprova fornecem suporte técnico e administrativo, além de orientações baseadas em seus campos de atuação. Em qualquer caso, a coalizão não se obriga a seguir esses conselhos e preserva sua autonomia coletiva sobre o projeto.

Transparência

Toda reportagem mostrará claramente como o rumor, declaração ou conteúdo foi selecionado (com base na evidência de que pode ser muito disseminado e na relevância para o interesse público). Também explicará os passos seguidos durante a investigação, incluindo links para fontes quando for seguro e apropriado.

Quaisquer alterações ou correções serão claramente identificadas e explicadas.

Responsabilidade ética

O projeto se esforçará, em tempo integral, a não estimular rumores ou informações falsas. Não publicará links para conteúdo problemático nem dará legitimidade a informações que circulam por comunidades pequenas e de nicho.

Em casos de pessoas identificadas erroneamente, falsamente acusadas ou correndo o riscos de se transformar em vítimas a partir de sua inclusão em uma reportagem, o Comprova tomará todas as medidas necessárias para proteger a identidade e a dignidade dos indivíduos.

Declarações e outros itens de conteúdo serão investigados e publicados com base em sua relevância para a missão do projeto: informar os leitores de maneira precisa a respeito das políticas públicas do governo federal. A decisão sobre o que publicar não levará em conta artifícios que chamem a atenção ou reforcem o projeto, como uso de manchetes sensacionalistas ou ênfase em polêmicas.