Verificação

Investigado por:2020-04-09

É falso que o Hospital das Clínicas de São Paulo não tenha pacientes com covid-19

  • Falso
Falso
Um vídeo que circula pelas redes sociais mostra imagens de outro hospital, que fica em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Ele também tem pacientes internados com a covid-19

É falsa a alegação que circula em vídeos compartilhados no Facebook e em canais no YouTube de que o Hospital das Clínicas de São Paulo não tem nenhum paciente infectado pela covid-19 – doença causada pelo novo coronavírus – internado na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo). Até 7 de abril, a instituição já tinha recebido 256 pacientes com covid-19, sendo que 120 deles estavam internados na UTI.

As imagens que circulam como sendo do HC de São Paulo foram feitas em 3 de abril, no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, a 310 quilômetros da capital. No dia da gravação, 11 pacientes infectados pela covid-19 estavam internados no HC-FMRP, todos em estado grave.

O Comprova verificou o conteúdo do vídeo em postagens em um perfil pessoal e na página Eu sou mais Brasil, no Facebook, e no canal Paulo Pavesi no Brasil, no YouTube.

Falso para o Comprova é o conteúdo inventado ou que tenha sofrido edições para mudar o seu significado original e divulgado de modo deliberado para espalhar uma mentira.

Como verificamos

O Comprova entrou em contato com a assessoria de imprensa do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, maior hospital público da América Latina, que sugeriu que as imagens poderiam ser do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Também fizemos contato com a assessoria de imprensa do HC-FMRP. Ambas instituições são administradas pela Universidade de São Paulo.

Também tentamos entrar em contato com as pessoas que publicaram o vídeo com informações falsas nas redes sociais.

Quem é o autor da publicação?

O Comprova conversou com autor da postagem no Facebook que trazia o vídeo que mais teve compartilhamentos. Trata-se de um homem, de Cuiabá. Ele afirmou que recebeu o conteúdo pelo WhatsApp e resolveu postar em seu perfil. Disse que não sabia quem era o autor das imagens.

O vídeo mais antigo que o Comprova encontrou foi postado no YouTube em 5 de abril. O autor também postou as imagens no Facebook. Ele não respondeu às nossas tentativas de contato.

A assessoria de imprensa do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto informou ao Comprova que conseguiu identificar o homem responsável pela gravação das imagens, mas não quis informar de quem se trata. Segundo o hospital, ele não conversou com nenhuma funcionária da instituição, ao contrário do que afirma no vídeo. O departamento do jurídico do HC-FMRP estuda tomar providências contra a pessoa que fez a gravação.

Onde as imagens foram feitas?

A pessoa que gravou o vídeo afirma que está “no balcão 5 do Hospital das Clínicas de São Paulo”, mas não esclarece que as imagens foram feitas no HC de Ribeirão Preto, e não no da capital paulista. Até a quarta-feira, 08 de abril, havia 4946 casos confirmados de covid-19 na cidade de São Paulo e apenas 36 em Ribeirão Preto, como informa um balanço do governo do Estado.

O “balcão 5” é um corredor de acesso ao ambulatório geral do HC-FMRP. O movimento nesta área é baixo atualmente porque apenas os doentes graves estão sendo atendidos. Casos de menor complexidade estão sendo reagendados para priorizar o combate ao novo coronavírus.

Com isso, o número de consultas caiu de 3.000 para 500 por dia. “As medidas foram tomadas para proteger os pacientes que fazem parte dos grupos mais vulneráveis ao coronavírus”, afirmou, por e-mail, a assessoria de imprensa do HC-FMRP Até o momento da checagem, no dia 08 de abril, 11 pacientes infectados com a covid-19 permaneciam internados no hospital.

O diretor do HC-FMRP, Antonio Pazin Filho, publicou um vídeo em que esclarece como funciona a triagem dos pacientes que chegam ao hospital. “Nós estamos, com isso, demonstrando que estamos nos preparando para enfrentar essa pandemia e tudo que não precisamos neste momento são fake news divulgadas da forma irresponsável como foram feitas nessa última vez”, afirma.

Viralização

A postagem no Facebook com o vídeo e que mais viralizou foi compartilhada, 2,2 mil. No YouTube, o vídeo mais antigo foi postado em 5 de abril, dois dias depois que as imagens foram captadas, e teve 10.704 visualizações até a quarta-feira 8 de abril. O homem que publicou o vídeo no YouTube também postou as imagens no Facebook, mas elas foram compartilhadas apenas 35 vezes até a data.

O conteúdo verificado pelo Comprova também foi publicado em outras contas de Twitter, Facebook e YouTube, todas com menos de 100 compartilhamentos até o dia 8 de abril. Entre o dia 5 e o dia 7 também foram publicados no YouTube ao menos dez vídeos com o mesmo tom alarmista denunciando hospitais vazios em Juiz de Fora (MG), Maringá (PR), Taguatinga (DF), além de outro vídeo que visitava unidades de atendimento de saúde menores em Ribeirão Preto.