Investigado por:2018-10-03

É falso o comunicado atribuído ao PT que pede aos eleitores para irem votar somente na segunda-feira

É falsa a mensagem que circula em aplicativos como o WhatsApp e que pede aos eleitores do Partido dos Trabalhadores (PT) para irem votar apenas na segunda-feira, dia 8 de outubro.

A imagem que simula um comunicado aos eleitores tem a foto do ex-presidente Lula, do candidato à presidência da República, Fernando Haddad, e da candidata à vice-presidência, Manuela D´Ávila (PC do B), com um texto.

“Em virtude dos protestos e manifestações que poderão ocorrer no dia 07 de Outubro contra o nosso Partido (PT), nossos eleitores estão sendo convocados a irem votar no dia 08 de Outubro. Prezamos pela segurança de todos, com isso os mesmos serão contemplados com Café ou suco, pão com mortadela e frutas vermelhas em suas Zonas Eleitorais, para os que trabalham, esses receberão no término da votação o atestado que dará o direito de folgar durante a semana inteira do dia 08 ao dia 11 de Outubro, emendando com o feriadão e retornando as atividades (seja ela qual for) apenas no dia 15. Que beleza, não? Não esqueçam. ELEITORES E COMPANHEIROS NOSSO DIA DE VOTAR SERÁ 08 DE OUTUBRO segunda-feira. COMPARTILHEM e ajude a democracia vencer em nosso Pais [sic]”, explica o falso comunicado.

O Comprova verificou no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o Calendário Eleitoral para as eleições de 2018. O documento, disponível a todos, destaca de forma objetiva, baseado na Lei nº9.504/1997 que o dia 7 de outubro é a data para votação do primeiro turno das eleições, explicitado também na resolução nº 23.554. E de acordo com o artigo 144 do Código Eleitoral (Lei 4737/65) o período votação é das 8 às 17 horas.

O próprio site da campanha “Brasil feliz de novo”, do PT e do PC do B, desmente o “comunicado”. A postagem chama a peça de “covarde, além de mentirosa”, e ainda afirma que “essas não são promessas do Partido dos Trabalhadores e não correspondem à legislação eleitoral. A eleição é um processo democrático regulado por lei e o voto, secreto, não é um fator que determina as zonas eleitorais”.

O Comprova recebeu a peça por denúncias dos internautas através do seu Whatsapp. A imagem do comunicado falso foi a segunda mais encontrada pelo rastreador de conteúdo viral no Whatsapp do projeto Eleições sem Fake da UFMG na terça-feira, 2 de outubro.

A agência de checagem Lupa e o Fato ou Fake, do G1, também confirmaram a falsidade do material.